O que faz um profissional de RP?

relaçoes-publicas-o-que-faz

Relacionamento é o seu negócio! O profissional de Relações Públicas generalista, com uma visão ampla da comunicação, integra conteúdo e propaganda através de ações de relacionamentos. É a pessoa que trabalha  para estabelecer dentro das organizações uma comunicação integrada.

Quando se trata  das ações de uma organização de qualquer natureza no sentido de estabelecer e manter a compreensão mútua com seus públicos, isso é considerado Relações Públicas.

São profissionais mediadores na relação das empresas com os seus públicos. E, quando falamos de públicos, não estamos tratando apenas do consumidor final, mas de todos os indivíduos que se relacionam de alguma forma com a empresa. Ou seja, fornecedores, acionistas, parceiros, jornalistas, internauta, entre outros.

Portanto, ao se direcionar ao profissional que irá mediar o relacionamento e propor ações estratégicas a cada um desses públicos, muito prazer, sou o profissional de Relações Públicas.

O RP nas agências de comunicação

Dentro de uma agência de comunicação, encontram-se vários profissionais do segmento, como publicitários, jornalistas e, mais recentemente, os social media. Neste ambiente, o Relações Públicas integra os trabalhos e funções exercidos por cada um dos outros profissionais, cuidando para que o resultado final dessa união funcione em harmonia.

Por exemplo, na criação de uma campanha com diversas frentes de atuação – assessoria de imprensa, publicidade, mídias sociais – é o Relações Públicas que integra essa comunicação e cuida para que a mensagem final seja unificada.

Por Jenyffer Braz, relações públicas e colaboradora Lettera

Leia Mais

Listamos 18 sugestões para sua próxima leitura

dica-livros-lettera

Neste domingo, 29 de outubro, é celebrado do Dia Nacional do Livro. Para comemorar a data com a atenção que o assunto merece, cada um de nós, aqui da Lettera, falou um pouco sobre seu livro preferido. Você está pensando na sua próxima leitura? Confira aqui algumas sugestões:

Vidas Secas, de Graciliano Ramos
Dica de Ieda Rodrigues
Começamos a lista com um clássico da literatura brasileira. Seus personagens, como a cachorra Baleia, seguem para sempre na memória de quem lê. “Um livro que narra vida árida, porém com muita humanidade, com economia e precisão nas palavras”.

O Tempo e o Vento, Érico Veríssimo
Dica de Luciana Oliveira
Outro clássico da literatura brasileira. Nesta obra, o autor reúne em sete livros as histórias das famílias Terra e Cambará, suas guerras e revoluções em nome do poder político. “No Rio Grande do Sul, fatos históricos misturam-se brilhantemente com a ficção”.

1984, de George Orwell
Dica de Wilson Vieira
Um romance distópico que narra as relações de uma sociedade onde a população vive constantemente observada e submetida às regras de um regime totalitário. Essa ficção, escrita em 1949, aborda temas que não perdem a pertinência. “Um livro que assombrosamente se mantém atual e disseca as engrenagens de regimes totalitários e inescrupulosos”.

A Guerra dos Tronos, de George R. R. Martin
Dica de Fabio de Souza
O primeiro livro da série escrita por George R. R. Martin é ideal para quem gosta de se aventurar no mundo da fantasia e deixar a imaginação fluir. “Gosto do tema de fantasia e dessa série pela capacidade do autor de criar um universo com elementos fantasiosos com capacidade de expandir nossa imaginação”.

Sandman, de Neil Gaiman
Dica de Luiz Arthuso
“Filho do tempo e da noite, Sandman é o perpétuo do Sonho, irmão de Desejo, Morte, Destino, Destruição, Desespero e Delírio. Precisei apenas disso para começar a ler obra que, ao lado de 2001 – Uma Odisseia no Espaço, está em um lugar especial na prateleira de casa”.

O Clube do Filme, de David Gilmour
Dica de Marina Barrios
O livro, publicado em 2007, é uma biografia sensível escrita pelo crítico de cinema canadense David Gilmour, onde ele narra o período da sua vida em que o filho adolescente passou a morar com ele. Depois de várias tentativas de corrigir o comportamento do garoto, o jornalista resolve tirá-lo da escola e educá-lo por meio de filmes escolhidos pelo próprio crítico. “Gosto bastante deste livro por trazer um relato inusitado sobre o cotidiano de pai e filho e como deu certo essa forma de educar”.

Donnie Darko, de Richard Kelly
Dica de Fabiana Carvalho
Donnie Darko é um filme de 2001 que une suspense, drama e ficção científica.  No livro, além do roteiro original do filme, há uma entrevista com o diretor e também com o elenco original. “Então, para quem assistiu o filme pela primeira vez e não entendeu nada, o livro é uma ótima recomendação para esclarecer algumas coisas que ficaram subentendidas no filme”.

Amor, Liberdade e Solitude, de Osho
Dica de Livia Bagaiolo
Osho foi professor de filosofia e mestre de meditação. Sua obra trata das chagas da humanidade e paradigmas que foram postos no mundo com o passar do tempo. “Ele retrata sobre o amor próprio, o amor por Deus e o amor pelo próximo. O livro nos faz ser antes de sentir e além disso ajuda a nos levantar, a nos enfrentar e a conhecermos o verdadeiro amor para depois conhecer a verdade, a Deus e a nós mesmos. Osho desenvolveu um guia encantador, realista e sensato que nos leva, com desenvoltura, a compreender as complexidades da vida moderna e dos relacionamentos”.

Senzala, de Salvador Gentile
Dica de Edelma Martins
Esse romance narra a vida dos escravos a partir da visão da religião espírita. “Li esse livro há muito tempo e nunca mais esqueci a emoção que senti. Libertar-se da culpa é um dos pontos que me chamou atenção, dentro de uma história bem elaborada e cheia de ação. Um ótimo livro para manter-se alinhado com os pensamentos que promovem ascensão nas ideias positivas, mostrando a realidade de pessoas que passaram por situações parecidas aos dos personagens escravos e donos de terras de tempos atrás”.

Confesso que vivi, de Pablo Neruda
Dica de Rafael de Paula
Publicado em 1974, esse livro traz a autobiografia do poeta chileno. “Neruda é capaz de transformar coisas pequenas em gigantes reflexões sobre a vida e o ser humano. Vale cada palavra lida!”.

Chatô, o Rei do Brasil, de Fernando Morais
Dica de Carolina Mescoloti
Essa obra traz a biografia de Assis Chateaubriand, figura excêntrica e importante da história da comunicação no BrasilUm livro interessante que fala sobre a história da comunicação e a luta pelo poder político no período em que a televisão estava sendo implementada no Brasil.

Comer, Rezar, Amar, de Elizabeth Gilbert
Dica da Milene Góes
Uma autobiografia sensível e divertida, que narra as aventuras cotidianas da autora em um período sabático por Índia, Itália e ilha de Bali, na Indonésia. “Indico esse livro, pois mostra uma história de superação e coragem em busca do equilíbrio, liberdade e amor próprio”.

Cartas para Julieta, de Lise Friedman 
Dica de Silene Maldonado
O livro começa em outra história romântica: Romeu e Julieta. Diariamente, a cidade de Verona, na Itália, recebe cartas com remetentes de todo o mundo, que são encaminhadas a Julieta, a eterna personagem do romance de Shakespeare. Em Cartas para Julieta, acompanhamos a história dos voluntários que respondem essas cartas. “Eu gosto de histórias românticas e que transmitam verdades, adoro livro baseados em histórias reais”.

Eu sou Malala, de Malala Yousafzai
Dica de Gabriela Donatto
Essa autobiografia ganhou fama mundial por narrar a história de luta e coragem da ativista paquistanesa que se tornou a pessoa mais jovem a receber um Nobel. “Malala é um símbolo de luta pelo direito igualitário de gênero à educação. Mesmo diante da violência, a menina não desistiu de buscar conhecimento e liberdade para as mulheres paquistanesas. A biografia relata a triste realidade daquele local, onde vários direitos comuns aos cidadãos ocidentais são cerceados. Mas a vida da menina é um exemplo de que, mesmo diante de várias adversidades, é possível mudar um fragmento da realidade e que a educação é uma das principais ferramentas para essa transformação”.

O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry
Dica de Lucien Luiz
Esse clássio da literatura francesa conquistou fãs em todo o mundo. É uma ficção que mostra, de forma encantadora, o diálogo entre um aviador perdido no deserto e um princepezinho vindo de outro planeta. “Este livro é aquele que te transforma a cada leitura. Um livro que serve para todas as fases da vida”.

O Processo, de Franz Kafka
Dica de Anai Nabuco
Imagine acordar certa manhã e descobrir que você está sendo processado por um crime que sequer cometeu e do qual pouco sabe a respeito. É esse o mote desse livro intrigante e perturbador. “É um clássico que nunca esteve tão atual”.

Capitães da Areia, de Jorge Amado
Dica de Irani Pontes
Os Capitães da Areia são crianças abandonadas que vivem pelas ruas de Salvador. O livro, de 1937, traz um crítica social bem amarrada pela descrição da realidade das crianças que vivem em situação de abandono. “É uma história marcante, com personagens fortes”.

Manuelzão e Miguilim, de Guimarães Rosa
Dica de Carolina Bataier
Esse livro é dividido em dois contos: Campo Geral, que conta a história do menino Miguilim; e Uma estória de amor, onde o personagem principal é Manuelzão. “São duas histórias encantadoras. Miguilim é um menino que vive com a família num lugar distante, na zona rural. E Manuelzão é um senhor que está esperando por uma festa. A forma como o autor revela a visão dos personagens é de emocionar. Um livro inesquecível”.

Leia Mais