Projeto de Proteção à Fauna tem novas ações em Bauru

Há um ano, a CART – Concessionária Auto Raposo Tavares iniciou a implantação e adaptação de passagens de fauna sob as rodovias que administra, de Presidente Epitácio a Bauru. Em trechos em que os túneis sob o asfalto estão prontos e já há telas margeando a faixa de domínio, em ambos os lados, para guiar os animais silvestres para a passagem segura, como na Raposo Tavares no município de Rancharia, os resultados são animadores. O total de ocorrências envolvendo animais reduziu em 82,5%. Agora, o Projeto de Proteção à Fauna, desenvolvido pela CART numa parceria com o CBEE – Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas, entra numa nova fase, que na próxima semana terá ações em Bauru.

Será uma atividade no dia 17 de abril, das 19h às 22h, onde o coordenador do CBEE, Alex Bager, dará palestra na USC (Universidade do Sagrado Coração) aos alunos de graduação de biologia e engenharia ambiental. Ele vai destacar o que é ecologia de estradas, o impacto de rodovias e ferrovias na biodiversidade e fará uma breve explanação sobre a parceria do Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas e a CART na região no Projeto de Proteção à Fauna. Também vai falar sobre o Sistema Urubu, que através de um aplicativo gratuito para celular permite a qualquer interessado enviar fotos de animais machucados e mortos nas rodovias ao Projeto Malha do CBEE e, assim, contribuir para a formação do maior banco de dados sobre atropelamentos da fauna silvestre no Brasil. Com base nas informações do banco de dados, o CBEE propõe medidas de mitigação.
A estimativa do Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas é que anualmente 475 milhões de animais morrem atropelados nas rodovias em todo o Brasil, mais de duas vezes a população humana do País. Este número significam 1,3 mil animais mortos nas estradas por dia e 15 a cada segundo. A CART, primeira concessionária de rodovia a participar do Projeto Malha, mensalmente informa quais e quantos foram os animais silvestres avistados ou afugentados às margens da pista, os recolhidos feridos e os recolhidos mortos ao longo das rodovias que administra, além de estar implantando passagens de fauna ao longo do Corredor Raposo Tavares.

Comentários


Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>